Cláudio Sampaio | 11 Feb 19:34 2016
Picon
Gravatar

Que lindo, a ficha está caindo: "FLISOL de Curitiba rejeita repeteco da campanha querendo dividir as comunidades no evento"

Chorem mais, obscurantistas que querem impedir a adoção de software livre com radicalismos religiosos.

"Após uma década de sucesso com um posicionamento comunitário inclusivo, no ano passado o histórico do evento FLISOL no Brasil foi atingido por um posicionamento na direção oposta, lançado por um indivíduo externo à sua organização (mas logo publicamente apoiado pelo seu coordenador no Brasil, ainda que destacando estar se posicionando como indivíduo e não como membro do staff do evento).

A inclusividade foi substituída pelo chamado a deixar de lado uma das distribuições mais populares: o Ubuntu. Não divulgar, não instalar. Logo surgiram propostas de limites ainda mais estritos: instalar apenas software considerado livre pelos critérios da FSF, o que – quanto a distribuições Linux – exclui também nomes como Debian, Fedora, CentOS, Mint e Arch."


Palavras PERFEITAS.

--
Cláudio "Patola" Sampaio
MakerLinux Labs - Campinas, SP
<div><div dir="ltr">
<div>
<a href="http://br-linux.org/2016/01/flisol-de-curitiba-rejeita-repeteco-da-campanha-querendo-dividir-as-comunidades-no-evento.html">http://br-linux.org/2016/01/flisol-de-curitiba-rejeita-repeteco-da-campanha-querendo-dividir-as-comunidades-no-evento.html</a><br clear="all"><br>
</div>Chorem mais, obscurantistas que querem impedir a ado&ccedil;&atilde;o de software livre com radicalismos religiosos.<br><div>
<br>"Ap&oacute;s uma d&eacute;cada de sucesso com um posicionamento comunit&aacute;rio 
inclusivo, no ano passado o hist&oacute;rico do evento FLISOL no Brasil foi 
atingido por um posicionamento na dire&ccedil;&atilde;o oposta, lan&ccedil;ado por um 
indiv&iacute;duo externo &agrave; sua organiza&ccedil;&atilde;o (mas logo publicamente apoiado pelo 
seu coordenador no Brasil, ainda que destacando estar se posicionando 
como indiv&iacute;duo e n&atilde;o como membro do staff do evento).
<p>A inclusividade foi substitu&iacute;da pelo chamado a deixar de lado uma das
 distribui&ccedil;&otilde;es mais populares: o Ubuntu. N&atilde;o divulgar, n&atilde;o instalar. 
Logo surgiram propostas de limites ainda mais estritos: instalar apenas 
software considerado livre pelos crit&eacute;rios da FSF, o que &ndash; quanto a 
distribui&ccedil;&otilde;es Linux &ndash; exclui tamb&eacute;m nomes como Debian, Fedora, CentOS, 
Mint e Arch."</p>
<p><br></p>
<p>Palavras PERFEITAS.<br></p>
<p></p>-- <br><div class="gmail_signature"><div dir="ltr">
<div>Cl&aacute;udio "Patola" Sampaio<br>MakerLinux Labs - Campinas, SP<br>
</div>
<div>
<a href="mailto:patola <at> gmail.com" target="_blank">Gmail</a> - <a href="mailto:patola <at> techtraining.eng.br" target="_blank">Mail EAD</a> - <a href="mailto:patola <at> makerlinux.com.br" target="_blank">MakerLinux</a> - <a href="https://www.youtube.com/user/makerlinux" target="_blank">YOUTUBE</a>!<br><a href="https://www.facebook.com/patolinux" target="_blank">Facebook</a> - <a href="https://www.facebook.com/makerlinux" target="_blank">Facebook da MakerLinux</a> -<a href="http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4763932Z5" target="_blank"> Lattes</a><br>
</div>
</div></div>
</div>
</div></div>
Paulo Henrique Santana | 11 Feb 19:24 2016

Eventos em Porto Alegre em julho

Olá, a quem possa interessar:

Em 2 semanas de julho, Porto Alegre terá 3 eventos importantes: o CSBC - Congresso da Sociedade Brasileira
de Computação (04 a 07), o Fórum da Internet no Brasil (11 a 13) e o Fórum Internacional Software Livre -
FISL (13 a 16).

Abraços,

--

-- 
Paulo Henrique de Lima Santana
Curador de Software Livre da Campus Party Brasil
Membro da Comunidade Curitiba Livre
Fone: +55 (41) 9198-1897
Site: http://www.phls.com.br
GNU/Linux user: 228719  GPG ID: 0443C450
elianedomingos | 10 Feb 17:32 2016

Lançamento do LibreOffice 5.1

Olá Comunidade, The Document Foundation anuncia o lançamento do LibreOffice 5.1 Se você quer saber mais, acesse o nosso blog: https://goo.gl/BjL8h9 Saudações,

Eliane Domingos de Sousa
Liberte-se, para editar textos, planilhas e apresentações
use http://pt-br.libreoffice.org/ é totalmente de graça.


EDX Coworking & Business Club
Seu espaço de trabalho e negócios no centro do Rio de Janeiro
http://www.edxcoworking.com.br


<div><div><div data-marker="__QUOTED_TEXT__">
<div>
<div><span>Ol&aacute; Comunidade,

The Document Foundation anuncia o lan&ccedil;amento do LibreOffice 5.1

Se voc&ecirc; quer saber mais, acesse o nosso blog: <a class="moz-txt-link-freetext" href="https://goo.gl/BjL8h9" target="_blank">https://goo.gl/BjL8h9</a>

Sauda&ccedil;&otilde;es,
</span></div>
<div><div>
<span><span></span></span><p>Eliane Domingos de Sousa<br>Liberte-se, para editar textos, planilhas e apresenta&ccedil;&otilde;es<br>use http://pt-br.libreoffice.org/ &eacute; totalmente de gra&ccedil;a.</p>
<span><span></span></span><p><br></p>
<p>EDX Coworking &amp; Business Club<br>Seu espa&ccedil;o de trabalho e neg&oacute;cios no centro do Rio de Janeiro<br>http://www.edxcoworking.com.br</p>
</div></div>
</div>
<br>
</div></div></div>
Adonay Felipe Nogueira | 8 Feb 13:43 2016

RETROCESSO: Decreto de Dilma revoga Comitê de Implementação de Software Livre.

Como pedido por alguns membros da lista
flisol-br <at> listas.softwarelivre.org[1][2][3][4], estou movendo o tema de
mesmo[5] para esta lista.

A partir de agora, espera-se que as futuras mensagens colocadas naquela
hierarquia de assuntos sejam enviadas para cá, e não mais lá.

O assunto parece ter desviado do tema principal devido ao fato de que
alguns membros daquela lista acham que software livre é a favor de um
sistema socio-econômico específico[6].

Adicionalmente, referencio aqui algumas respostas interessantes, para
que os leitores fiquem a par da discussão[7][8][9][10][11][12].

REFERÊNCIAS

[1]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003465.html

[2]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003487.html

[3]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003496.html

[4]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003497.html

[5]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003453.html

[6]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003493.html

[7]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003454.html

[8]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003459.html

[9]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003461.html

[10]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003462.html

[11]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003463.html

[12]
http://listas.softwarelivre.org/pipermail/flisol-br/2016-February/003464.html
Fa Conti | 4 Feb 21:00 2016
Picon
Gravatar

UNICEF requires CC BY or CC BY-SA for Technology Solutions for Children


Oi

Interessa?

UNICEF requires CC BY or CC BY-SA for Technology Solutions for Children

http://ow.ly/XXdh9 ‪-

Via Creative Commons ‪#inovacao #educacao -

-- 

Beijins
Fa
--------------------------------------------------------------------
"Deus me ama. Só está me ignorando para ver se me apaixono por Ele."
--------------------------------------------------------------------

Se houver documentos de escritório incluídos neste e-mail,
eles poderão estar no formato ODF,
um padrão aberto, gratuito e homologado pela ISO e ABNT.
Para visualizar ou editar, basta copiar e instalar
LibreOffice em http://www.documentfoundation.org/  ou
Apache OpenOffice em http://www.openoffice.org/download/

Cansou de vírus, pragas virtuais, travamentos e falta de desempenho?
O melhor anti vírus é usar GNU-Linux :)

_______________________________________________
psl-brasil mailing list
psl-brasil <at> listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/cgi-bin/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://wiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
SAIR DA LISTA ou trocar a senha:
http://listas.softwarelivre.org/mailman/options/psl-brasil
Gabriel Galli | 4 Feb 19:22 2016

Campanha de doação da ASL

Pessoal,

A ASL está lançando uma campanha para arrecadação de fundos. O objetivo é viabilizar os projetos da instituição, inclusive o Fórum Internacional Software Livre (FISL).

Convidamos todas e todos a compartilhar e divulgar as informações da campanha no nosso portal:

ASL.Org lança campanha de doação para realizar o FISL17

Abraços,
Gabriel Galli
Comunicação / ASL
<div><div dir="ltr">Pessoal,<div><br></div>
<div>A ASL est&aacute; lan&ccedil;ando uma campanha para arrecada&ccedil;&atilde;o de fundos. O objetivo &eacute; viabilizar os projetos da institui&ccedil;&atilde;o, inclusive o F&oacute;rum Internacional Software Livre (FISL).</div>
<div><br></div>
<div>Convidamos todas e todos a compartilhar e divulgar as informa&ccedil;&otilde;es da campanha no nosso portal:</div>
<div><br></div>
<div>ASL.Org lan&ccedil;a campanha de doa&ccedil;&atilde;o para realizar o FISL17<br>
</div>
<div>
<a href="http://softwarelivre.org/portal/noticias/asl.org-lanca-campanha-de-doacao-para-realizar-o-fisl17">http://softwarelivre.org/portal/noticias/asl.org-lanca-campanha-de-doacao-para-realizar-o-fisl17</a><br>
</div>
<div><br></div>
<div>Abra&ccedil;os,<br>Gabriel Galli</div>
<div>Comunica&ccedil;&atilde;o / ASL</div>
</div></div>
anahuac | 3 Feb 02:45 2016
Picon

FLISOL 2016 #semUbuntu


FLISOL 2016 #semUbuntu

Este é o segundo ano da campanha. E deveremos persistir até que haja uma reação contundente dos
voluntários heróis que fazem do FLISOL o maior evento de Software Livre do mundo. Ano passado muitas
cidades aderiram ao #semUbuntu e foi histórico, mas temos que melhor ainda mais.

Não há como sermos mais explícitos: por favor organizadores e voluntários do FLISOL, não instalem Ubuntu.
O Festival Latino-americano de Instalação de Software Livre (FLISOL), é um evento realizado desde
2005 e que acontece simultaneamente em várias cidades da América Latina com intuito de difundir o
software livre por meio da instalação de sistemas operacionais e aplicativos livres. Porém nas
últimas edições, a maioria dos voluntários passou a instalar o Ubuntu nos notebooks e computadores
dos visitantes, com a melhor das intenções.

O problema é que Ubuntu não é software livre faz muito tempo! Seja pela quantidade de código não livre
embutido nele, seja pela sua postura eminentemente comercial, seja pelo seu absoluto desrespeito pelos
princípios éticos e filosóficos do movimento do software livre.
Em nossa humilde opinião, os voluntários do FLISOL acham que estão fazendo o bem, porém estão
confundindo modelo de desenvolvimento de código fonte aberto (definido pela Open Source Initiative)
com o movimento filosófico do software livre (definido pela Free Software Foundation), estão
difundindo mais software não livre que qualquer outra coisa.

Porque a implicância com o Ubuntu?

O projeto Ubuntu distribui vários dados funcionais não livres (não somente software não livre),
além de distribuírem vários dados não funcionais não redistribuíveis (que não podem ser nem
compartilhados, nem vendidos). Além disso, Ubuntu foi a única distribuição GNU/Linux que
instalou, a partir de outubro de 2012, software malicioso para coletar dados de seus usuários, sem dizer
nada a ninguém. Isso é antiético, imoral e vai de encontro a todos os princípios do Software Livre. Só
isso deveria bastar, mas a Canonical deixou claro em sua defesa sobre o spyware que instalou
secretamente, que ações desse tipo são normais no mundo corporativo e que não se arrependia. E ainda
tem mais: criticou diretamente a Free Software Foudation (FSF) e o Richard Stallman por terem exposto o
problema ao público "da forma como fizeram".

Então se unirmos os dois problemas - software não livre + comportamento contrário ao movimento
filosófico do software livre - qual é o motivo que leva o Ubuntu a ser a distribuição GNU/Linux mais
instalada em todas as edições do FLISOL? Facilidade, praticidade, compatibilidade? Se sua resposta
for sim para qualquer uma dessas, lembre-se: esses são argumentos do modelo de desenvolvimento de
código fonte aberto e não do movimento filosófico do software livre. O objetivo primário é defender
as quatro liberdades essenciais da sociedade para com os dados funcionais.

Instalar outras distribuições pode?

Não deveria poder, afinal de contas a maioria das distribuições usa kernel Linux e este já está tão
infectado de softwares não livres, que mal dá para categorizá-lo como um software livre. Assim
distribuições como Fedora, Mandriva, openSUSE, Debian e outras mais populares, estão fadadas à
mesma condição do Ubuntu. A diferença está em não usar a pior delas, para a comunidade do software livre.

Retroceder para voltar ao rumo certo

Recusar formalmente a instalação do Ubuntu seria um recado claro de que a comunidade do software livre
não aceita mais os abusos cometidos. Que não aceita mais a inclusão constante e crescente de software
não livre em suas distribuições GNU/Linux mais queridas. Pensem no efeito que um posicionamento como
esse teria e os benefícios que alcançaríamos como movimento social e político, depois de toda a
experiência adquirida nos últimos anos?

Dar dois passos para trás, para poder dar um à frente, na direção certa. Sejamos francos, até quando
vamos continuar nos submetendo aos abusos de poder dado por nós mesmos aos fabricantes de notebooks, aos
desenvolvedores do kernel Linux e a empresas como a Canonical. Todos eles parecem cada vez mais
interessados em seus próprios negócios do que em fomentar e disseminar a cultura do software livre.

E qual é a sugestão?

Apontar um problema e não oferecer nenhuma solução não seria correto, então seguem algumas
sugestões práticas para o FLISOL:

a) Escolha uma distribuição de sistemas livres recomendada pela FSF
https://www.gnu.org/distros/free-distros.html ;
b) Sugerimos a distribuição Trisquel GNU/Linux (http://trisquel.info), exatamente porque se baseia
no Ubuntu LTS e isso facilitaria encontrar documentação e opções on-line;
c) Substitua o hardware incompatível, em especial as placas wifi. Como? Aqui conto como fiz: http://www.anahuac.eu/sua-liberdade-por-r-2000/
d) Se não for possível substituir a placa wifi permitam uma exceção de driver não livre usando o
ndiswrapper para permitir o funcionamento das mesmas;
e) Automatizem via script a instalação dos pacotes não livres mais comuns: codecs multimídia
privativos, Java, e outros, mas não executem vocês mesmos. Deixem que as pessoas façam isso elas mesmas.

Elas são livres para escolher usar ou não software não livre, mas o FLISOL e os ativistas do movimento
filosófico do software livre não.

Consequências diretas

O primeiro incômodo é ter que explicar as pessoas que cheguem ao FLISOL procurando instalações de
Ubuntu, porque não se instalará essa distribuição. A consequência imediata é criar a percepção
geral de que o Ubuntu não é tão bom assim. Discutir a ética e a filosofia do software livre em um evento de
software livre é super legal!

O segundo incômodo é colocar um instalador com um driver privativo, de forma evidente, sem margem a
interpretações. O que os olhos não veem, o coração não sente. E isso se aplica aos blobs privativos
que vem no kernel Linux, que são instalados sem que se perceba. É isso o que gera aquela "felicidade" de
ter o hardware funcionando, mesmo que seja em detrimento de todo o nosso discurso de ativismo em prol da
liberdade tecnológica.

O terceiro é trazer de volta a discussão sobre os problemas que os drivers privativos e dados funcionais
não livres causam: dependência tecnológica imposta pelo poder econômico dos
donos/proprietários. Neste momento é o inconveniente do DRM e amanhã será o boot restrito. Até
quando vamos permitir passivamente sermos limitados, constrangidos e relegados? O dia em que não será
possível instalar mais um sistema operacional livre está chegando. Vamos reagir?

Apelo

Este á um apelo para que o FLISOL seja a força propulsora para que o movimento filosófico do Software
Livre volte a ser valorizado como deve, para que seus princípios éticos e filosóficos sejam
priorizados, para que o modelo que da mais valor à placa de wifi funcionando do que a liberdade
tecnológica seja derrotado.

Não estamos buscando coerência plena neste momento. Trata-se do primeiro passo do resto de nossas
vidas. Todos juntos podemos fazer do Mundo um lugar melhor. Usar, difundir, desenvolver e se manter firme
ao lados dos preceitos éticos e filosóficos do Software Livre é um dos caminhos para se alcançar esse objetivo.

Saudações Livres!

Alessandro Moura
Anahuac de Paula Gil

http://www.anahuac.eu/flisol-2016-semubuntu/
Sandro Andrade | 28 Jan 21:07 2016
Picon
Gravatar

FreeBASE 2016 - chamada de trabalhos

Apresentação
------------

O FreeBASE – Workshop de Software Livre Bahia-Alagoas-Sergipe – é um evento que
visa promover e discutir as diversas maneiras de participação de estudantes e
profissionais em projetos e comunidades de software livre e de código-aberto
(FLOSS), seja na utilização, divulgação, desenvolvimento ou quaisquer outras
formas de contribuição. Além disso, visa ressaltar a importância da cultura
livre não só no meio acadêmico, mas como ferramenta de apoio ao desenvolvimento
social. Em linhas gerais, este workshop tem o propósito de enriquecer as
atividades relacionadas a FLOSS no evento, buscando fomentar a cultura livre e
disseminar a ideia de liberdade.

Datas Importantes
-----------------

28/02/2016 – Prazo final para submissão (até às 23:59 horas)
28/03/2016 – Notificação de trabalhos aceitos
10/04/2016 – Entrega da versão final dos trabalhos aceitos (até às 23:59 horas)

Inscrições
----------

Os autores dos trabalhos aceitos NÃO serão dispensados do pagamento da inscrição
na ERBASE, nem do pagamento dos minicursos e laboratórios. Além disso, a
publicação do artigo nos anais do evento está condicionada à inscrição de pelo
menos um dos autores no evento e à apresentação do trabalho na ERBASE.

Tópicos de Interesse
--------------------

Autores são convidados a submeter artigos originais, que tratem de trabalhos
concluídos ou em andamento, relacionados a pesquisas ou casos de sucesso
envolvendo software livre. Os principais tópicos de interesse incluem (mas não
estão limitados a):

* Motivações, aspectos sociais e dinâmicas/processos de
desenvolvimento em comunidades de FLOSS;
* Aspectos de Engenharia de Software em projetos de FLOSS;
* Cultura Livre e Ética hacker;
* Aspectos legais e econômicos de FLOSS;
* Robótica livre;
* FLOSS no contexto educacional;;
* Projeto, desenvolvimento e evolução de FLOSS;
* Caracterização de projetos FLOSS a partir de análise de dados de
diversas fontes;;
* Ferramentas de apoio ao desenvolvimento de software, com foco nas
necessidades dos desenvolvedores de FLOSS.

Ressaltamos que os trabalhos submetidos devem preferencialmente ter o
software livre como foco central de investigação.

Submissão de Artigos
--------------------

Os artigos devem ser escritos em português ou inglês e apresentar
entre 6 (seis) e 10 (dez) páginas, incluindo resumo, figuras e
referências bibliográficas. A formatação do texto deve seguir o padrão
adotado pela SBC (disponível em
http://www.sbc.org.br/documentos-da-sbc/summary/169-templates-para-artigos-e-capitulos-de-livros/878-modelosparapublicaodeartigos).
Serão aceitos trabalhos apenas no formato PDF (Portable Document
Format). As submissões deverão ser feitas exclusivamente por via
eletrônica no link https://jems.sbc.org.br/home.cgi?c=2490. As
submissões deverão ser feitas exclusivamente por via eletrônica. O não
cumprimento destas regras implicará na imediata desclassificação do
artigo.

Coordenação
-----------

Alexandre Braga (Estácio FAL) – alex DOT professor AT gmail DOT com
Sandro S. Andrade (IFBA) – sandroandrade AT ifba DOT edu DOT br

Comitê de Programa
------------------

Em definição
_______________________________________________
psl-brasil mailing list
psl-brasil <at> listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/cgi-bin/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://wiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil
SAIR DA LISTA ou trocar a senha:
http://listas.softwarelivre.org/mailman/options/psl-brasil
thiago.zoroastro | 27 Jan 03:45 2016
Picon

Liberdade de Software também é estética

É claro que Software Livre essencialmente é muito mais uma questão de 
programação. Superficialmente, instaláção fácil e sem empecilhos dos 
programas, disponibilizando centenas de programas com grande qualidade 
acumulada.

Mas estou interessado em um concurso de estética do desktop. Embora o 
desenvolvimento em si dos programas seja onde "liberdade do software" 
possa ser levado ao pé-da-letra mas "liberdade de expressão" também pode 
ser exprimida por meio de demonstração das capacidades estéticas que o 
Software Livre em geral é possível de prover.

Isto pode criar interesse das pessoas em utilizar. Acomodação é fator 
importantíssimo. Exaltar a liberdade do software em sua 
superficialidade, de instalar programas sem empecilhos (dificuldade é 
uma escolha), não é ruim, é  bom. Principalmente visando um futuro de 
mais usuários com capacidade de intervenção do código-fonte e atuantes 
da prática na prática.
anahuac | 26 Jan 17:45 2016
Picon

Unimecafy: um conto GNU


Unimecafy: um conto GNU

Ricardo era uma criança especial. Ele percebia as coisas de uma forma diferente. Nem todos entendiam o que
ele dizia e ele, quase nunca, entendia o que os demais queriam dizer. - Como é isso de "querer dizer"? Por
que não dizem as coisas claramente? Perguntava Ricardo para sua mamãe. Com a paciência que só as mães
tem, ela sempre lhe dizia o mesmo - As pessoas tem medo de serem rejeitadas e por isso insinuam mais do que
falam, pois falar as coisas exatamente como são, termina por magoar os demais. Ricardo sempre fingia
entender, mas essa explicação nunca foi satisfatória. Ricardo, então, continuava a ser direto e
objetivo na sua honestidade, afastando as pessoas, mas acreditando cada vez mais que a verdade e o bem
sempre prevaleceriam.

Como toda criança Ricardo adorava brincar com seus carrinhos e bonecos, vídeo games e bolas, bicicleta e
jogar pião. Mas seu favorito sempre foi o Lego. A possibilidade de libertar a imaginação ligando os
bloquinhos de plástico era indescritível! - Olha mamãe, juntei todas as peças que tenho e fiz esse
carro com 22 rodas, 19 portas, um elevador, todos os bonecos, cavalinhos e até uma árvore no topo!
Ricardo era o orgulho de seus pais.

Ricardo cresceu um pouco e seu pai lhe presenteou com um outro tipo de brinquedo de montar: Unimecafy. Este
tinha parafusos, porcas, roldanas, cubos, conectores, rodas e placas perfuradas para que tudo isso
pudesse ser interconectado. - Que irado! Isso sim é algo que pode levar minha imaginação a um nível
muito mais avançado! Pensou Ricardo. E assim, sem perder, tempo, ele começou a bolar as coisas mais
estranhas e fantásticas com as novas peças. O que mantinha tudo junto eram os parafusos e para
apertá-los ele precisava usar a chave de fenda que veio no brinquedo. Esta não era uma chave de fenda
comum, pois ela tinha ranhuras específicas que se encaixavam nos parafusos, que também não eram comuns.

Ir à escola, fazer os deveres, estudar, comer, o Lego e todo o resto perderam a graça. Havia uma vontade
enorme de usar o Unimecafy para criar ferramentas que ajudassem em seu dia a dia. Ricardo fez um passador de
páginas do seu livro, uma escala para aumentar o tamanho de um desenho, um apoio giratório para seu Globo
e muitas outras coisas superúteis. - Serei um inventor! E poderei ajudar as pessoas com minhas
fantásticas invenções. Confessou Ricardo ao seu pai.

Um dia Ricardo descobriu que seu amigo Alan também tinha ganho um Unimecafy e o convidou para brincarem
juntos. Quando Alan chegou com sua caixa de peças, ambos pensaram a mesma coisa e falaram juntos: - vamos
juntar todas as nossas peças! Vamos construir a maior de todas as invenções! Então limparam um canto
do quarto, despejaram todas as peças juntas e colocaram a mão na massa. Em poucos minutos eles já
estavam imaginando o tamanho, forma e peças que precisariam para fazer o fantástico escorregador de
bolas de gude. E começaram a separar as partes que precisariam. Ricardo fez a base bem sólida, enquanto
Alan fez os trilhos por onde as bolas iam passar. Agora só faltava juntar e fixar bem as partes.

Ele tentaram juntá-las colocando uma sobre a outra mas as duas partes não encaixavam. Ele perceberam que
a furação das placas perfuradas eram diferentes! E não era só isso os parafusos e as chaves de fenda
eram diferentes também. - Ricardo, acho que não vamos conseguir encaixar isso. Disse Alan. - Mas temos
que conseguir, afinal o seu é um Unimecafy e o meu também é! Não pode ser! Então com suas caixas de
Unimecafy, Ricardo e Alan foram falar com o pai de Ricardo para tentar entender o que havia de errado.

- Papai, Alan e eu estamos tentando juntar estas partes de nossos Unimecafys e não estamos conseguindo.
Você pode nos ajudar? Disse Ricardo
- Deixe-me dar uma olhada nessas partes. Hummm, interessante, isso é um escorrego de bolas de gude, certo?
Comentou o Pai.
- Sim, estivemos trabalhando nisso por algumas horas, essa parte na sua mão esquerda é a base e na direita o
trilho. Interveio Alan.
- Olha, deve ter algo errado, veja os buracos das placas da base feita com meu Unimecafy não encaixam com os
buracos das placas dos trilhos feitos com o Unimecafy de Alan! Explicou Ricardo
- Isso não faz muito sentido. Comentou o Pai. - Mas eu tenho uma ideia. Vamos ler o manual de instruções.

Na capa do manual, em letras enormes estava escrito: "O Unimecafy foi desenhado para lhe prover uma
experiência única. Use sua imaginação para criar tudo o que quiser!" - Isso é promissor, pensou o
Pai. Então ele continuou lendo e procurando por uma explicação. Passou pela sessão de descrição
das partes, do funcionamento do brinquedo, do uso correto da chave de fenda, dos cuidados com o manuseio,
da garantia e da assistência técnica autorizada. Na última página, ele encontrou o que buscava.

"O Unimecafy foi feito para ser utilizado apenas pela pessoa que pagou pelo direito de usá-lo. Não é
permitido o compartilhamento de suas partes e componentes com mais ninguém. A única forma de garantir o
uso exclusivo pelo seu portador, é fazer peças diferentes que não possam ser encaixadas com outros Unimecafys."

- Entendeu Ricardo? Esse é um brinquedo para brincar sozinho. Disse o Pai depois de ler.
- Mas pai! Assim não é divertido, não é legal! Reclamou Ricardo
- Verdade tio! Assim não dá! Apoiou Alan
- É assim que as coisas são meu filho. Assunto encerrado. Agora me deixem ler o jornal. Finalizou o Pai.

Alan ficou tão desapontado que arrumou seu Unimecafy e foi para casa. Ricardo não conseguia aceitar a
sentença de que as coisas são assim. Ele sabia que tinha que fazer algo para conseguir encaixar as peças
dos Unimecafys. Como seria possível aceitar que todas as crianças do mundo não podiam brincar juntas
com seus Unimecafys? Porque seu brinquedo favorito não era compatível com os demais? Como juntar todas
as invenções maravilhosas de todas as crianças se os Unimecafys não poderiam ser interligados?
Pensando nisso, o sono foi maior, e ele adormeceu.

Em seus sonhos havia um grande espírito que lhe dizia: - Você pode encontrar uma solução! Este é o seu
destino! Você poderá libertar todos os Unimecafys! - Como? Como? Ecoava a sua voz no sonho. E o espírito
lhe disse o que ele já tinha percebido - Crie um Unimecafy livre, onde todas as peças se encaixem, e ensine
as outras crianças a como fazer isso elas mesmas!

Na manhã seguinte Ricardo sabia exatamente o que tinha que fazer: criar seu próprio conjunto de peças,
placas, parafusos e chaves de fenda. E não só isso, mas contar para todas as demais crianças como fazer o
mesmo. As crianças e ele mesmo poderiam, finalmente, juntar suas imaginações, juntar as suas ideias e
juntar suas peças!

Durante muito tempo ele desenhou cada uma das peças, cada um dos parafusos, cada uma das placas perfuradas
e escreveu um manual de como fazê-las. Então mostrou todo o conjunto ao seu amigo Alan e juntos eles
melhoraram ainda mais os desenhos e o manual. E agora juntos decidiram mostrar tudo para todos os amigos da
escola, do bairro, do clube, da igreja e de todos os lugares onde iam. E cada dia, mais e mais crianças da sua
cidade conseguiam fazer, criar e usar seus próprios Unimecafys livres, que se encaixavam uns com os
outros. Em seguida, crianças de todo o país souberam da novidade e não demorou muito para que o Mundo
inteiro soubesse e quisesse fazer parte disso. Então todas as sugestões foram levadas em conta e as
peças foram ficando cada vez melhores e mais divertidas.

Quando um canal de TV decidiu fazer uma entrevista com Ricardo para entender o porquê, ele disse: - porque
eu sou uma criança e sei que nenhuma criança pode ter sua imaginação presa por muito tempo. Todos temos
o direito de compartilhar nossas ideias e dividir nossas conquistas.

Ele havia sido objetivo e honesto como sempre e o entrevistador não entendeu muito bem. Mas os fabricantes
do Unimecafy entenderam e perceberam que Ricardo estava completamente certo. Desse dia em diante eles
só fabricaram peças que podiam se conectar umas as outras e inclusive às peças, parafusos e chaves de
fenda feitas por Ricardo, Alan e todos os demais colaboradores do mundo inteiro.

--

-- 
Anahuac de Paula Gil

Anahuac - http://www.anahuac.eu
KyaHosting - http://www.kyahosting.com
suaNUvem - http://www.suanuvem.com
DiasporaBR - http://diasporabr.com.br
OpenLDAP - http://www.openldap.com.br
Twitter:  <at> anahuacpg
Diaspora: anahuac <at> diasporabr.com.br
Jabber/XMPP: anahuac <at> diasporabr.com.br
Luiz Braz | 22 Jan 22:15 2016
Picon

DECRETO Nº 8.638/2015

Reenviando com o título adequado.


Prezados,

Para os que não sabem foi publicado o DECRETO Nº 8.638/2015 que institui a
Política de Governança Digital no âmbito dos órgãos e das entidades da administração pública
federal direta, autárquica e fundacional.

fonte: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2015-2018/2016/Decreto/D8638.htm


Quanto a Política, destaco:
=====================

* Uma das Finalidades:
        III - assegurar a obtenção de informações pela sociedade, observadas as restrições legalmente previstas.

* Um Conceito:
        V - rede de conhecimento - associação de indivíduos constituída para permitir a interação, o debate, a
        criação, o aprimoramento e a disseminação de conhecimento sobre assuntos relativos à governança
        digital e a temas correlatos; e

* Um princípio, ou dois...:
        II - abertura e transparência;

* Duas diretrízes:
        III - os dados serão disponibilizados em formato aberto, amplamente acessível e utilizável por pessoas e máquinas,
        assegurados os direitos à segurança e à privacidade;
       
        IV - será promovido o reuso de dados pelos diferentes setores da sociedade, com o objetivo de estimular
        a transparência ativa de informações, prevista no art. 3º e no art. 8º da Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011; e

        V - observadas as disposições da Lei nº 12.527, de 2011, será implementado o compartilhamento de dados entre
        os órgãos e as entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, sempre que
        houver necessidade de simplificar a prestação de serviços à sociedade."


Quanto a Estratégia de Governança Digital a ser publicada pelo MPOG,
========================================================

* destaco:
        serão considerados o alinhamento com as políticas públicas e os programas do Governo federal, com o objetivo
        de identificar oportunidades que possam ser alavancadas pelo uso de tecnologia da informação e comunicação;


Sobre o Comitê de Governança Digital:
==============================

Art. 9º  Os órgãos e as entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional deverão
        manter um Comitê de Governança Digital, ou estrutura equivalente, para deliberar sobre os assuntos relativos
        à Governança Digital, composto por, no mínimo:

I - um representante da Secretaria Executiva ou da unidade equivalente do órgão ou da entidade, que o presidirá;

II - um representante de cada unidade finalística do órgão ou da entidade; e

III - o titular da unidade de tecnologia da informação e comunicação do órgão ou da entidade.

Parágrafo único. Os membros do Comitê ou da estrutura equivalente referidos nos incisos I e II do caput deverão
         ser ocupantes de cargo de provimento em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores, de nível 5
         ou equivalente, ou de cargo de hierarquia superior.


Quanto as Redes:
==============

Art. 11.  Os trabalhos do Comitê de Governança Digital ou da estrutura equivalente observarão as proposições das redes de conhecimento.

Art. 12.  O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão estabelecerá redes de conhecimento sobre assuntos relativos à Governança Digital e a temas correlatos

§ 1º  As redes de conhecimento serão abertas à participação de qualquer cidadão interessado.

Conclusão:
========

Agora só falta o MPOG entender a importância de se usar software livre e criar um rede de conhecimento sobre o assunto.

Dúvida:
======
Será que "Usar e Produzir Software Livre no Governo" é uma política pública vigente?



<div><div dir="ltr">Reenviando com o t&iacute;tulo adequado.<br><div><div class="gmail_extra">
<br><div class="gmail_quote">
<br><blockquote class="gmail_quote">
<div dir="ltr"><div>Prezados,<br><br>Para os que n&atilde;o sabem foi publicado o DECRETO N&ordm; 8.638/2015 que institui a <br>
Pol&iacute;tica de Governan&ccedil;a Digital no &acirc;mbito dos &oacute;rg&atilde;os e das entidades da administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica <br>
federal direta, aut&aacute;rquica e fundacional.<br><br>fonte: <a href="http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2015-2018/2016/Decreto/D8638.htm" target="_blank">http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2015-2018/2016/Decreto/D8638.htm</a><br><br><br>Quanto a Pol&iacute;tica, destaco:<br>=====================<br><br>* Uma das Finalidades:<br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; III - assegurar a obten&ccedil;&atilde;o de informa&ccedil;&otilde;es pela sociedade, observadas as restri&ccedil;&otilde;es legalmente previstas.<br><br>* Um Conceito:<br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; V - rede de conhecimento - associa&ccedil;&atilde;o de indiv&iacute;duos constitu&iacute;da para permitir a intera&ccedil;&atilde;o, o debate, a <br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; cria&ccedil;&atilde;o, o aprimoramento e a dissemina&ccedil;&atilde;o de conhecimento sobre assuntos relativos &agrave; governan&ccedil;a <br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; digital e a temas correlatos; e<br><br>* Um princ&iacute;pio, ou dois...:<br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; II - abertura e transpar&ecirc;ncia;<br><br>* Duas diretr&iacute;zes:<br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; III - os dados ser&atilde;o disponibilizados em formato aberto, amplamente acess&iacute;vel e utiliz&aacute;vel por pessoas e m&aacute;quinas,<br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; assegurados os direitos &agrave; seguran&ccedil;a e &agrave; privacidade;<br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; <br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; IV - ser&aacute; promovido o reuso de dados pelos diferentes setores da sociedade, com o objetivo de estimular<br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; a transpar&ecirc;ncia ativa de informa&ccedil;&otilde;es, prevista no art. 3&ordm; e no art. 8&ordm; da Lei n&ordm; 12.527, de 18 de novembro de 2011; e<br><br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; V - observadas as disposi&ccedil;&otilde;es da Lei n&ordm; 12.527, de 2011, ser&aacute; implementado o compartilhamento de dados entre <br>&nbsp;&nbsp;&nbsp; &nbsp;&nbsp;&nbsp; os &oacute;rg&atilde;os e as entidades da administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica federal direta, aut&aacute;rquica e fundacional, sempre que <br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; houver necessidade de simplificar a presta&ccedil;&atilde;o de servi&ccedil;os &agrave; sociedade."<br><br><br>Quanto a Estrat&eacute;gia de Governan&ccedil;a Digital a ser publicada pelo MPOG,<br>========================================================<br><br>* destaco:<br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; ser&atilde;o considerados o alinhamento com as pol&iacute;ticas p&uacute;blicas e os programas do Governo federal, com o objetivo<br>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; de identificar oportunidades que possam ser alavancadas pelo uso de tecnologia da informa&ccedil;&atilde;o e comunica&ccedil;&atilde;o;<br><br><br>
Sobre o Comit&ecirc; de Governan&ccedil;a Digital:<br>
==============================<br><p><span>Art. 9&ordm; &nbsp;Os &oacute;rg&atilde;os e as entidades da 
administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica federal direta, aut&aacute;rquica e fundacional dever&atilde;o <br>
&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; manter um 
Comit&ecirc; de Governan&ccedil;a Digital, ou estrutura equivalente, para deliberar sobre os 
assuntos relativos <br>
&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; &agrave; Governan&ccedil;a Digital, composto por, no m&iacute;nimo:</span></p>

<p><span>I - um representante da Secretaria Executiva 
ou da unidade equivalente do &oacute;rg&atilde;o ou da entidade, que o presidir&aacute;;</span></p>

<p><span>II - um representante de cada unidade 
final&iacute;stica do &oacute;rg&atilde;o ou da entidade; e</span></p>

<p><span>III - o titular da unidade de tecnologia da 
informa&ccedil;&atilde;o e comunica&ccedil;&atilde;o do &oacute;rg&atilde;o ou da entidade.</span></p>

<p><span>Par&aacute;grafo &uacute;nico. Os membros do Comit&ecirc; ou da 
estrutura equivalente referidos nos incisos I e II do caput dever&atilde;o <br>
&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; ser 
ocupantes de cargo de provimento em comiss&atilde;o do Grupo-Dire&ccedil;&atilde;o e Assessoramento 
Superiores, de n&iacute;vel 5 <br>
&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; ou equivalente, ou de cargo de hierarquia superior.</span></p>
<br>
Quanto as Redes:<br>
==============<br><br>Art. 11.&nbsp; Os trabalhos do Comit&ecirc; de 
Governan&ccedil;a Digital ou da estrutura equivalente observar&atilde;o as proposi&ccedil;&otilde;es
 das redes de conhecimento.<br><br>
Art. 12.&nbsp; O Minist&eacute;rio do Planejamento, Or&ccedil;amento e Gest&atilde;o estabelecer&aacute; 
redes de conhecimento sobre assuntos relativos &agrave; Governan&ccedil;a Digital e a 
temas correlatos<br><br>
&sect; 1&ordm;&nbsp; As redes de conhecimento ser&atilde;o abertas &agrave; participa&ccedil;&atilde;o de qualquer cidad&atilde;o interessado.<br><span><br>Conclus&atilde;o: <br>========<br><br></span><span><span>Agora s&oacute; falta o MPOG entender a import&acirc;ncia de se usar software livre e criar um rede de conhecimento sobre o assunto.<br><br></span>D&uacute;vida: <br>======<br>Ser&aacute; que "Usar e Produzir Software Livre no Governo" &eacute; uma pol&iacute;tica p&uacute;blica vigente?<br><br><br></span>
</div></div>
</blockquote>
</div>
<br>
</div></div>
</div></div>

Gmane