giulianodjahjahbonorandi | 7 Jul 22:39 2015
Picon

hipervídeos políticas de saúde

carxs,

queria compartilhar com vocês esse projeto o qual fiz parte da coordenação e fiz a direção de 3 dos 5 hipervídeos aqui na Jardim.in

são 5 políticas de saúde olhadas como redes. a do adolescente é interessante por apontar outro as caminhos de qualificação da política sócio educativa que responda ativamente à questão da maioridade penal, por isso muito importante em divulgar. 

a da saúde da mulher fala da rede cegonha e da humanização do parto, etc. emfim, cada área têm sua especificidade... no mais saí convencido que os trabalhadores/ativistas em saúde, e de defesa do SUS, aqueles que tão na ponta mesmo, fazem um trabalho íncrivel...

divulgo tb por conta da experimentação em linguagem,  feitos com html5 e java script, tentando inventar um modo de ver vídeo diferente: hipervideo. quem sabe dando indicações do que pode ser a interatividade na tv digital. mas é fundamentalmente uma experimentação de um tipo diferente de fruição...

feedbacks, serão lindos!

axé!
chico | 26 Jun 18:19 2015
Picon

Fwd: [SLEdu] Atualizamos o EducatuX




-------- Forwarded Message -------- Assunto: Data: De: Responder a: Para:
[SLEdu] Atualizamos o EducatuX
Thu, 25 Jun 2015 13:29:23 -0300
Paulo Francisco Slomp <slomp-xJwOtXwPo4w@public.gmane.org>
Software Livre Educacional - Geral <geral-m6kpSURY7yVparPusSuXxCmJM+HD/ga2@public.gmane.org>
Geral SLedu <geral-m6kpSURY7yVparPusSuXxCmJM+HD/ga2@public.gmane.org>


-------- Mensagem encaminhada -------- Assunto: [gt-educacao] Atualizamos o EducatuX Data: Thu, 25 Jun 2015 13:23:26 -0300 De: Aderbal Botelho <aderbal-Re5JQEeQqe8AvxtiuMwx3w@public.gmane.org> Temos o prazer de anunciar a nova versão do Educatux, que nesta versão traz novos serviços que aprimoram o papel da escola e do professor na aprendizagem intermediada por jogos educativos. Entre 2013 e 2014, tivemos várias possibilidades de experimentar o uso educacional desta ferramenta de educação livre em escolas, apresentar e debater com outros especialistas da área e interagir e iniciar projetos de pesquisa com uma universidade que permitiram realizar alterações importantes na forma como o sistema armazena as informações e possibilita uma análise da sua usabilidade. Estamos criando, com recursos próprios, um meio de contribuir com as escolas públicas e particulares nos estados e municípios de modo a transformar os professores multiplicadores da importância dos jogos educativos em suas comunidades. A partir deste momento, temos a possibilidade de executar estudos sobre o impacto da ferramenta na realidade do ensino-aprendizagem através da utilização avançadas estudos correlacionais, graças à colaboração do Professor Robson Araujo (Consultor e Pesquisador da UNIP). Além de termos o apoio da Professora Amábile Pácios e Raphael Pácios (Dirigentes da Escola Dromos). Tivemos também uma importante reformulação visual, provida pelo artista e designer de Max Rocha, que nos brindou com um visual honesto e moderno, atendendo as expectativas de crianças, jovens, pais e das escolas. Inicialmente, o EducatuX foi construído para atender uma necessidade familiar: servindo de ferramenta de aprendizagem para nosso filho Lucas Gabriel - o "aluno 0". Naquela época, as soluções gratuitas para a Educação era menosprezadas pelo mercado educacional. Hoje em dia com a popularização das avaliações de larga escala e da discussão de critérios e métodos educacionais modernos, associados ao empreendedorismo entre os jovens, tem permitido uma maior penetração de soluções que incentivam o senso crítico e científico no ensino. Assim como o "aluno 0", o EducatuX desenvolveu, cresceu e adquiriu novas objetos de aprendizagem ampliando a faixa-etária em que ele pode ser utilizado, o que permite maior abrangência de público infantil. Assim, mais gente poderá aprender de forma divertida e inovadora. Diante dos desafios domésticos que a modernidade trouxe, a educação das crianças deve ser motivo de troca entre educadores, familiares e os alunos de uma forma mais espontânea, mas sem perder o foco na avaliação das contribuições que cada parte poderá promover. Portanto, a nova versão do EducatuX apresenta um sistema operacional mais compatível, simples e bonito e novas possibilidades de utilizar a plataforma para pesquisas exploratórias e diagnósticas sobre a dinâmica educacional de acordo com a percepção dos vários atores que participam das instituições educacionais. Para obter o EducatuX visite a página: http://www.educatux.com.br/obtenha e siga as instruções para gerar o seu pendrive. O EducatuX está disponível em Português do Brasil, Espanhol e Inglês. -- -- Aderbal Botelho +55 61 8210 4404 Un 85658381 www.educatux.com.br _______________________________________________ Geral mailing list Geral-m6kpSURY7yVparPusSuXxCmJM+HD/ga2@public.gmane.org http://listas.sleducacional.org/listinfo.cgi/geral-sleducacional.org

Iuri Guilherme | 25 Jun 19:08 2015

Internet Ungovernance Forum Brasil


-----BEGIN PGP SIGNED MESSAGE-----
Hash: SHA256

Hello!

The Internet Governance Forum (IGF) will be held in João Pessoa between 
9 and 13 November of 2015. Interested parties all around the world the 
event. We understand that at IGF the most urgent issues of the Internet 
are not given proper attention. The event's shape priviledges 
governments and corporations, main perpetrators of many internet 
problems, which hold enormous representation at IGF (much further than 
deserved). Given these circumstances, we decided to take action to 
defend the Internet as we know it and make room to raise the voices of 
civil society initiatives, activists and common people, in a parallel 
forum.

We are organizing the Internet Ungovernance Forum (IUF) for everyone who 
demand that free speech, transparency, privacy and web neutrality 
remaining as building blocks of the internet. Our objective is to talk 
about the real problems of the internet, as well as the means to solve 
them, tracing a course of action.

In 2014 , the IUF was placed in Turkey and was supported by hacklabs, 
independent media, Occupy Movement and initiatives for freedom of speech 
and transparency, such as Wikileaks, EFF and Article 19.

We make this invitation to you because we believe that you can 
strenghten the resistence feature and the counterpoint we intend to do 
through this parallel forum.
Despite having the support of Brazilian PIRATES, the forum will act in 
nonpartisan way.

This is our website http://iuf.partidopirata.org (english version 
http://iuf.partidopirata.org/index-en.html)

We look forward to your support , with the addition of your logo at the 
supporters list on the website, or active participation in the 
construction of the event, if there is interest, with disclosure, 
lectures, infrastructure, finance or otherwise . We accept all forms of 
cooperation and suggestions are welcome ! :)

We want to reclaim the Internet as a fundamental piece of our societies, 
cities, education, health, work, media, communications, culture and 
everyday activities.

We call on all those who are interested in participate to resist the 
sight of internet problems as solely technological, excluding the 
effects of its materiality.

- --
iuri.neocities.org
-----BEGIN PGP SIGNATURE-----
Version: OpenPGP.js v0.5.1
Comment: http://openpgpjs.org

wsFcBAEBCAAQBQJVjDWICRBKqNXDY+bjBwAAZz0P/3hoipWFe3EmQqIl2RmI
NbDSMsckHfYLPygf8iEY7ClGpvZGUlzRihGtBXnbedVRDcXAi+v8/IObaLXw
+FNItnKGbUfuy5FQIcpXsi/S755jiMPgqSujKmlCg5LqzuzdXSrwTBVVg4Rv
E+nWJxXp2mTQBlFj0xBSclXFTROask6hZGpDCQ9ICyP+h65M490+IWVUASbE
UtcAu/+6OjGKK0QzcB/QEeAD2RcHnJy7k35tAX4/+IxLzKW/Lzhax/KBeH0g
fA5DLuJnUsnYJ+rthGKxL/7halF4N/Lrzs2DEQ0j2ar/HARnG5kvx1Q0pHG7
ZspNCMWStlcXTAPUSNQoV4FUjqFtXY1fwc0r8PHvAU6rv9siwQnP7cdWOvMs
32XKoNv4taJrgtPUQc35BQxilSFegq+cN/S2NnhGmxSlISbsZxa/v3WUZ+OR
J/uH7LdeHjwBxUFfEE2eRLYXfB6gA2cx3A06nbAY5Ilw5dSOeki/bDunePWV
JL1PqMvXfOtRche3PYteqCxX53Y1mmY9YqNPs+vPesEMQSOl2qAu5b/TZ/Ye
gu6uXGtox9vcYtEPni6q+rE6e/jpfFoLqreMdgtcEG2n+a50VGEeWJhw62v9
zDytTPJQuY9mnlR7Z1e4KzqL14HXxo/UWNiHWgq17jYVfQ7JiFhjhnTmDFfL
kbXs
=w7A/
-----END PGP SIGNATURE-----

Iuri Guilherme | 25 Jun 15:28 2015

Fórum de Desgovernança da Internet Brasil


-----BEGIN PGP SIGNED MESSAGE-----
Hash: SHA256

Olá!

Entre 9 e 13 de Novembro será realizado o Fórum de Governança da 
Internet (IGF, sigla em inglês) 2015, em João Pessoa . Partes 
interessadas de todo o mundo irão participar do evento. Entendemos que 
no IGF os problemas mais urgentes da Internet não recebem a devida 
atenção. O formato do evento privilegia governos e corporações, 
principais perpetuadores de muitos dos problemas da internet, os quais 
terão enorme representatividade no IGF (muito além da que merecem). 
Dadas essas circunstâncias, nós decidimos defender a Internet como a 
conhecemos e criar um espaço para dar voz a iniciativas da sociedade 
civil, ativistas e pessoas comuns, em um fórum paralelo.

Estamos organizando o Fórum de Desgovernança da Internet (IUF, sigla em 
inglês) para todas as pessoas que demandam liberdade de expressão, 
transparência, privacidade e neutralidade de rede como pilares 
fundamentais da Internet. Nosso objetivo é falar sobre os verdadeiros e 
reais problemas da Internet, assim como sobre os meios pelos quais 
podemos resolvê-los, traçando um plano de ação.

Em 2014, este evento paralelo também ocorreu na Turquia e contou com 
apoio de hacklabs, mídias independente, Movimento Occupy e iniciativas 
pela liberdade de expressão e transparência, como Wikileaks, EFF e 
Article 19.

Fazemos este convite a vocês por acreditarmos que podem reforçar o 
caráter de resistência e de contraponto que pretendemos fazer com este 
fórum paralelo.

Apesar de contar com o apoio dos PIRATAS brasileiros, o fórum atuará de 
maneira suprapartidária.

Este é o site: http://iuf.partidopirata.org (versão em inglês 
http://iuf.partidopirata.org/index-en.html)

Esperamos poder contar com seu apoio, com a adição da sua logo à lista 
de apoiadores no site do evento, ou participação ativa na construção do 
evento, se assim tiverem interesse, com divulgação, palestras, 
infraestrutura, financiamento ou qualquer outra maneira. Aceitamos toda 
forma de colaboração e sugestões são bem-vindas!

Queremos reafirmar a Internet como uma base fundamental em nossas 
sociedades, cidades, educação, saúde, trabalho, meios de comunicação, 
cultura e atividades cotidianas.

Convidamos as pessoas interessadas em participar dessa iniciativa a 
resistir à visão dos problemas da Internet como unicamente tecnológicos, 
excluindo os efeitos de sua materialidade.

- --
iuri.neocities.org
-----BEGIN PGP SIGNATURE-----
Version: OpenPGP.js v0.5.1
Comment: http://openpgpjs.org

wsFcBAEBCAAQBQJVjAHjCRBKqNXDY+bjBwAALJoQAIppS/+GCppXsrPQYeAp
ZO7jjW0SocObnxxRqp4aB7xsagZ2GViKtS2K7GCSV4q0/vyCjQI37o8w5li9
VlHWllZnLkdu5KGPNNzkFQVsF3TVzKlPrJbGY9yAs+du8Nqgt2eKFHJ5vdln
v4bislJpDE8SJqj3gz8amlVyRHqk7RPp6G2qc1qkr71s4SxwLnx0APwdNtYx
L/nNcTcnCmE1dIk3u2TDAZA+UuKlZJ/0lrLNEXzWVfvlYerUDXblbk9EGnLf
HZTj7OmTAQkL7/lAK+NXWaQMXr99lwkgPGrRXnmWLjp/m6PB4h5uB7BQ1ZL/
6kNDS+YMJ4G+SBrlrn0eGaG85bkfy+WYbPZWMu558gm9hBOdcqhJrnGnSTue
pVLt0IQummLoO+77h/bN0hN7/WQzLCe3ZlLmGHDKuDt3txemaGgfoc0En3Qi
4KJtoX/buhnlf9XHN83aFSErF62Fo1JcsLTTCJOm6tiJiXogbeeZHOBQudJI
EefsR8WCB3LXokjzzfiR3ZGp9y1vm8JEX768wsuSz1MER6/eGTlkQFyBGO7Q
lMEFyRKJdzpKgQr2W0oXuvT7nlwKMlH2NGWhhy/E0sEWU5m8Lidwp64KfkRW
qOghS7G/d9OrsLqqGngk+oST82VS8B7MRBXc4PqEKpRWl2VLCIWTRwAQCQCl
qjDS
=+BEx
-----END PGP SIGNATURE-----

Thiago Novaes | 25 Jun 11:22 2015
Picon

In the Facebook Aquarium

No. 15: In the Facebook Aquarium: The Resistible Rise of Anarcho-Capitalism, Ippolita


http://networkcultures.org/blog/publication/no-15-in-the-facebook-aquarium-the-resistible-rise-of-anarcho-capitalism-ippolita/
Thiago Novaes | 23 Jun 14:48 2015
Picon

Fwd: [ecrea] CFP> Special Issue "Open Knowledge" - REDES.COM JOURNAL


---------- Forwarded message ----------
From: Carpentier Nico <nico.carpentier-t4LwSHXjkAOzQB+pC5nmwQ@public.gmane.org>
Date: 2015-06-23 8:23 GMT-03:00
Subject: [ecrea] CFP> Special Issue "Open Knowledge" - REDES.COM JOURNAL
To: ecrea <ecrea-JX7+OpRa80Q/wHKzD/9UspkigfUh6rMo@public.gmane.org>



Redes.Com 13
http://rede.paginaoficial.ws/rede/index.php/es/component/k2/item/91-redes-com-13
Redes.Com 13
<http://rede.paginaoficial.ws/rede/media/k2/items/cache/737344dd8934cc52da9f7f85f2627abb_XL.jpg>

*CALL FOR PAPERS: REVISTA REDES.COM <http://REDES.COM> N. 13*

*"**Open Knowledge*"**

Coordinadores Monográfico: Dr. Antonio CASTILLO ESPARCIA y Dr. Alejandro
à LVAREZ NOBELL

*Manuscript submission*

Deadline: OCTOBER*, 1st (2015)*

To submit a manuscript you need to be registered with *Redes.com*
<http://revista-redes.hospedagemdesites.ws/index.php/revista-redes/user/register%E2%80%8B>

If you are already registered, click the following *link*
<http://revista-redes.hospedagemdesites.ws/index.php/revista-redes/login?source=%2Findex.php%2Frevista-redes%2Fauthor%2Fsubmit%2F>

e-ISSN: 2255-5919

*English version available below*

*
*

*Envío de originales*

Fecha de cierre de la convocatoria:***01 de OCTUBRE de 2015*

*Autores no registrados:*Para el envío de originales los autores tienen
que crear un usuario y contraseña:***NUEVO USUARIO*
<http://revista-redes.hospedagemdesites.ws/index.php/revista-redes/user/register>

*Autores ya registrados:*Recepción de originales y normas para usuarios
ya cadastrados:*SUBIR ARTÃ CULO*
<http://revista-redes.hospedagemdesites.ws/index.php/revista-redes/login?source=%2Findex.php%2Frevista-redes%2Fauthor%2Fsubmit%2F1>

e-ISSN: 2255-5919

Los debates e iniciativas jurídico-políticas y las diversas prácticas
comunicativas institucionales –en particular las del ámbito público y
las vinculadas a la formación y producción de saberes-, transitan bajo
el halo de la expectativa que conlleva una supuesta promesa de
“democratización en el acceso a la información† y “universalidad del
conocimiento†. Estas disputas y transformaciones han encontrado en
internet un especial campo de actuación procurando que todos los
usuarios o grupos puedan vincularse bidireccional y simétricamente con
las instituciones públicas, por ejemplo.


Con el inicio de internet en los años 90, se crearon espacios
comunicativos para que algunas revistas científicas se distribuyeran a
través del correo electrónico. Pero no ha sido hasta inicios del año
2000 cuando se han generalizado multitud de iniciativas basadas en el
conocimiento abierto (Open Knowledge). Fruto de ello son la Declaración
de Budapest (Budapest Open Acess Initiative BOAI, 2002), la Declaración
de Bethesda (2003) y la Declaración de Berlín (2003). También desde
diversas organizaciones se ha apoyado este movimiento internacional como
es el caso de la Open Knowledge Foundation, creada en 2004 para apoyarla
defensa del conocimiento abierto.

En este sentido, el open acess o acceso abierto promueve la apropiación
libre de todo tipo de recursos digitales (documentos escritos, imágenes,
datos, documentos audiovisuales) a través de internet. Pueden ser
publicaciones en revistas y libros, pero también otros documentos
educativos y de investigación.

Las características que posee en acceso abierto se centran en los
siguientes polos:

a)  Universalidad ya que cualquier persona puede utilizar y distribuir
la información con el menor esfuerzo y dificultad posible

b)  Inmediatez debido a que los textos y documentos deben estar
disponibles en todo momento

c)  Intercambiables como elemento implícito y que ayuda a la libre
distribución y utilización por parte de todo tipo de personas o colectivos.

Bajo estas premisas, se convoca a investigadores y expertos a proponer
artículos originales insertos en algunas de las siguientes propuestas
temáticas:

-  Datos gubernamentales en acceso abierto ya sea en el ámbito
internacional, como en el estatal o el subestatal

-  Repositorios institucionales como pueden ser de universidades o
sociedades científicas

-  Software libre y las implicaciones tecnológicos, económicas o sociales

-  Investigación/datos abiertos (linked open science)

-   Bigdata y gestión inteligente de información

-   Periodismo de datos

-   Ciencia ciudadana

Documentos de interés

http://www.budapestopenaccessinitiative.org/

http://www.unesco.org/science/wcs/esp/declaracion_s.htm#sociedad

http://www.zim.mpg.de/openaccess-berlin/berlin_declaration.pdf

http://legacy.earlham.edu/~peters/fos/bethesda.htm

http://manual.periodismodedatos.org/
------


*Dr./Ph.D. Antonio Castillo Esparcia*
Universidad de Málaga, Facultad de Comunicación
Campus de Teatinos s/n 29071 Málaga (España)

*Dr./Ph.D. **Alejandro à lvarez Nobell*
Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET)
Universidad Nacional de Córdoba (Argentina)




---------------
ECREA-Mailing list
---------------
This mailing list is a free service offered by Nico Carpentier and ECREA.
--
To subscribe, post or unsubscribe, please visit
http://commlist.org/
--
To contact the mailing list manager:
Email: nico.carpentier-t4LwSHXjkAOzQB+pC5nmwQ@public.gmane.org
URL: http://homepages.vub.ac.be/~ncarpent/
--
ECREA - European Communication Research and Education Association
Chaussée de Waterloo 1151, 1180 Uccle, Belgium
Email: info-EHysYXUzvb0@public.gmane.org
URL: http://www.ecrea.eu
---------------

PONTOS SP - Robson Sampaio | 15 Jun 18:03 2015
Picon

Coletivo Revoada​ convida para segundo encontro do #MaptimeCPS vamos fazer uma introdução ao Open Street Maps (OSM)

Coletivo Revoada​  convida para segundo encontro do #MaptimeCPS vamos fazer uma introdução ao Open Street Maps (OSM) o sistema de mapeamento livre e colaborativo mais utilizado ao redor do planeta. A introdução ao #OSM vai ser conduzida pelo ilustre Nelson, um dos usuários mais ativos na comunidade OSM #Brasil.
A oficina acontece no dia 27 de junho, sábado, das 14:00-17:00 no CDI Campinas (Av. Nestor Castanheira, n.80 – Vila Industrial, próximo ao SESI Amoreiras http://revoada.net.br/oficina-maptimecps-introducao-ao-open-street-maps/)
Mais informações: http://revoada.net.br/oficina-maptimecps-introducao-ao-open-street-maps/

--
Robson B. Sampaio***

Artista Visual/Fotografo
Gnu/Linux user # 489500
e-mail: reductio.ad.ethos-Re5JQEeQqe8AvxtiuMwx3w@public.gmane.org
skype: rbscamba1
twitter: <at> rbscamba
facebook: robson.sampaio1

http://lattes.cnpq.br/7461730442638498

"A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original." Albert Einstein
chico | 15 Jun 16:00 2015
Picon

Ocupa ahê!

Galera, reta final para envio de propostas!

http://culturadigital.br/labceus/2015/05/08/abertas-as-inscricoes-para-segunda-chamada-publica-do-labceus/

ocupahe!

[s]

chico

Thiago Novaes | 2 Jun 23:34 2015
Picon

A reinvenção da TV Digital no Brasil

A reinvenção da TV Digital no Brasil

por Por Rafael Diniz e Thiago Novaes* — publicado 02/06/2015 16h58, última modificação 02/06/2015 17h31

A inclusão do software Ginga nos conversores fornecidos à população de baixa renda supera a proposta de mera atualização do analógico para o digital e gera uma plataforma de comunicação multimídia.

Há muitos anos se fala na necessidade de democratização dos meios de comunicação no Brasil. Os Direitos Humanos (Art. XIX), de 1948, o Pacto de San José da Costa Rica (Art. XIII), de 1969 e o Art. 5, inciso IX de nossa Constituição Federal, de 1988, são em geral invocados para se argumentar em defesa da Liberdade de Expressão, princípio fundamental para o pleno exercício da cidadania em qualquer democracia.

A era analógica da comunicação, no entanto, especialmente no caso do rádio e da televisão, limitou o acesso das pessoas ao espectro radioelétrico por considerá-lo finito, dando primazia a transmissões com maior “qualidade”, confundindo o papel de gestor do Estado com o de proprietário. O resultado deste desvirtuamento foi, historicamente, a criação de dificuldades para permitir o acesso de grupos e pessoas ao campo da comunicação social, notadamente sem fins de lucro, ao invés de garanti-lo.

Partindo da premissa da representação – confirmando uma pretensa limitação técnica –, e não da participação direta de qualquer pessoa ao uso do espectro, a luta pela democratização dos meios se tornou uma bandeira política cujas conquistas podem ser celebradas no que tange aos conteúdos que circulam socialmente, desde emissões comerciais ou de serviços públicos, enfrentando muita resistência no Congresso brasileiro para uma mudança estrutural, que realizasse uma democratização real do acesso à produção, circulação e recepção do discurso social em disputa.

Mas que novo contexto emerge com a digitalização dos meios de comunicação?

A primeira transmissão oficial de TV Digital no Brasil ocorreu em 2 de dezembro de 2007, com um padrão que foi definido após anos de pesquisa, baseado no sistema japonês ISDB-T com modificações nacionais, sendo a principal delas a incorporação do suporte à interatividade através do middleware Ginga.

Mais de 7 anos depois, no dia 15 de maio de 2015, foi decidido pelo grupo responsável pela migração para TV Digital no Brasil, o GIRED (Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV), que serão distribuídos aproximadamente 14 milhões de conversores interativos de TV Digital para os inscritos no programa Bolsa Família, de forma que pessoas de baixa renda não fiquem sem o serviço de TV aberta – visto que entre 2016 e 2018 as emissões de TV analógica serão gradualmente desligadas.

O sistema de TV Digital brasileiro, graças ao Ginga, permite a interatividade, o que significa que a emissora pode enviar aplicações interativas ao televisor do telespectador, com conteúdo de vídeo não-linear e interativo, possibilitando que as pessoas, de forma não mais passiva, atuem diretamente sobre a programação. Além disso, caso o televisor ou dispositivo de recepção, como um celular com TV ou um conversor digital, tenha conexão com a Internet, é possível que se possa também enviar e receber informações via rede de Internet, possibilitando a interação com outros teleparticipantes, e não mais meros espectadores, sintonizados no mesmo canal. É o que se chama de TV integrada broadcast/broadband (IBB-TV), onde a convergência da TV com a Internet se faz presente.

Atualmente, existem mais de 15 milhões de aparelhos de TV vendidos com suporte ao Ginga. No entanto, as emissoras de TV brasileiras pouco têm utilizado a interatividade, desperdiçando todo o potencial de inclusão social e de democracia participativa que o Ginga permite. Mesmo quando alguma aplicação interativa é transmitida, somente os sinais de algumas capitais a veiculam, visto que muitas retransmissoras e afiliadas não possuem equipamento para retransmissão e geração de aplicações interativas. Sendo um recurso de baixo custo e acessível, espera-se que, muito em breve, os radiodifusores brasileiros tornem essas potencialidades uma realidade.

A instalação de cerca de 14 milhões de conversores de TV Digital nas casas de famílias de baixa renda irá impulsionar sobremaneira uma adesão massiva aos serviços interativos. Dotadas de conversores digitais, que deveriam ser chamados, na verdade, de centrais de mídia, essas famílias poderão continuar a assistir à programação da TV aberta terrestre (como é o caso dos cadastrados do Bolsa Família), passando a contarem também com as possibilidades que a TV Digital Interativa oferece.

Ausência: WiFi e plano de conexão

A grande ausência, no entanto, na entrega dos conversores, é a falta de um plano para conectar esses receptores à Internet. Os cidadãos contemplados pelo receptor com acesso à Internet poderão se valer da interatividade plena da TV Digital, ou seja, com capacidade de não somente receber conteúdo interativo, mas também de enviá-los. No entanto, a compatibilidade dos conversores com modems 3G/4G sugere que, caso o usuário do conversor opte por ter acesso à Internet, ele terá que comprar o modem e um plano de acesso de alguma operadora de telefonia, o que implica em impeditivos de custeio.

O conversor que será distribuído foi desenhado para garantir que, com uma boa configuração, atenda a um novo perfil de receptores dentro das normas do SBTVD, o Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre. Esse novo perfil, com denominação C, está definido em emendas a normas ABNT 15606, que estão em análise pelo Fórum do SBTVD. A proposta do perfil C estabelece 512MB de memória RAM, 2GB de memória para armazenamento de aplicações, e prevê que o receptor tenha suporte à execução de um segundo vídeo, ativado por aplicações interativas, e voltado primordialmente para garantir acessibilidade para deficientes auditivos, com aplicativos utilizando Libras, por exemplo.

Para conectividade, o conversor disporá de uma conexão para cabo de rede, e duas portas USB que deverão suportar modem 3G/4G, e bluetooth, onde poderão se conectar teclados sem fio. Outra grande ausência na configuração do receptor, no entanto, é a falta de conectividade WiFi: dado o avanço de projetos do governo como o Cidades Digitais e o Banda Larga para Todos, não vemos sentido em se deixar o WiFi de fora do conversor, em favor do suporte a modem que se conecta a redes de telefonia 3G/4G, que tradicionalmente oferecem um serviço caro e de baixa qualidade. O Ministério da Comunicações, para ser coerente com os próprios projetos, deveria ao menos exigir a presença dos drivers para adaptadores WiFi USB no conversor, uma tecnologia barata que garantiria o acesso e o compartilhamento de conexão à Internet de forma inteligente.

Outro ponto problemático é a execução de aplicativos Ginga a partir de um pendrive USB. O aplicativo terá permissões extremamente limitadas de acesso: por exemplo, o controle remoto não poderá ser utilizado pela aplicação. Somente aplicativos provenientes de emissoras, que serão assinados digitalmente, poderão ser executados e acessar a todos os recursos do Ginga. Esse fato impede que desenvolvedores independentes possam testar uma aplicação interativa diretamente no Ginga do conversor. Uma possível solução seria o governo apresentar um serviço de assinatura digital para certificação de aplicações independentes, ou que o receptor tenha simplesmente uma opção para desativar a verificação de assinaturas (algo como um tipo de preferência de “Modo Desenvolvedor”).

Notamos ainda que nada vem sendo discutido sobre a conformidade dos receptores de TV Digital com as normas do SBTVD, que definem o Ginga e os perfis de receptor. Para esses 14 milhões de conversores serem utilizados em sua plenitude, eles têm de ser 100% aderente às normas, tanto a do Ginga como a do perfil de receptores, no caso aderente ao perfil C. Atualmente, somente uma empresa é responsável pela maior parte do mercado de middleware no Brasil, e devido à ausência de um procedimento de testes de conformidade de receptor no Brasil, existe um risco muito grande de a empresa ganhadora do edital instalar um Ginga incompleto e com extensões proprietárias, e não padronizadas, tal como uma loja exclusiva de venda de aplicativos. Dentre as formas de se resolver o problema, o Fórum do SBTVD poderia estabelecer uma suíte de testes e procedimentos de conformidade; outra seria o conversor vir somente com software livre, o que permitiria, além de uma ampla auditoria, a possibilidade de evolução do software do conversor por qualquer interessado. O sistema operacional utilizado nas caixinhas conversoras, o Linux, é livre.

Centrais de mídia

A despeito dos pequenos problemas que esses 14 milhões de conversores ainda apresentam para o desenvolvimento de uma interatividade plena, em sintonia com o ambiente convergente e voltado para o exercício do direito humano à comunicação, a presença dessas centrais de mídia na casa das pessoas abre imensas possibilidades aos radiodifusores, sejam eles públicos ou comerciais. Emissoras públicas têm agora a possibilidade de iniciarem, por exemplo, projetos de democracia participativa, enquanto as emissoras comerciais poderão reinventar seus anúncios de modo a envolver a audiência com conteúdos interativos imersivos. Com a entrada de novos canais utilizando até 5 programas em multiprogramação, como o Canal da Cidadania e o Canal da Educação, vários tipos de aplicações interativas poderão ser testadas e implementadas utilizando o espectro, e serem transmitidas livre e gratuitamente pelo ar.

Após mais de 7 anos desde a primeira transmissão digital de TV no Brasil, consideramos que a decisão acertada pelo perfil C de conversores a serem distribuídos para a população de baixa renda representa uma verdadeira reinauguração da TV Digital no país, superando finalmente uma proposta de manutenção de uma configuração de TV Digital que não passava da simples atualização tecnológica da TV analógica. Passando agora a funcionar efetivamente como uma plataforma de comunicação multimídia interativa, tal como estabelecida pelo decreto presidencial que instituiu o SBTVD, a tecnologia digital de TV se apresenta muito mais atrativa para garantir a transição do sistema analógico, e, voltada para o acesso cidadão a serviços básicos de informação, promete ajudar a instaurar uma nova geração de tecnologias socialmente justas e economicamente relevantes.

Uma tamanha abertura pretende impulsionar ao mesmo tempo a inovação, dado o caráter livre das tecnologias envolvidas, sugerindo também uma mudança de comportamento, onde passamos de uma relação tradicionalmente passiva diante do meio televisivo para uma outra, muito mais participativa, integrada, interativa. Agora que isso tudo é possível, o que queremos dessa nova tecnologia para o futuro das novas gerações? Vamos todos, afinal, e para começar, teleparticipar?!

* Rafael Diniz é mestrando em Informática pela PUC-Rio e Thiago Novaes é doutorando em Antropologia Social na Universidade de Brasília.


http://www.cartacapital.com.br/blogs/intervozes/a-reinvencao-da-tv-digital-no-brasil-4423.html
farid abdelnour | 2 Jun 20:05 2015
Picon

edição de video com blender ta ficando mais fácil

desculpem o x-post

--
1111.1010.r.i.1101|n.o.i.s.1110|i.m.1010.g.1110|مقاومة
fsf member #5439
usuario GNU/Linux #471966
|_|0|_|
|_|_|0|
|0|0|0|
<a href="http://www.gunga.com.br">gunga</a>
<a href="http://www.tempoecoarte.com.br">tempoecoarte</a>
<a href="http://www.atelier-labs.org">atelier-labs</a>
<a href="http://www.mocambos.net">rede mocambos</a>
marcbraz | 28 May 23:37 2015
Picon

Caravana dos familiares dos 43 do México passa por SP, RJ e RS

Segue divulgação...

+++++++++++++++++++++++++

Ayotzinapa vive! - Com debate e sarau, Caravana 43 pela América do Sul
passa por São Paulo nos dias 2 e 3 de junho

Nos dias 2 (terça) e 3 (quarta) de junho estarão em São Paulo
familiares de alguns dos 43 estudantes mexicanos desaparecidos de
Ayotzinapa. Desde 26 de setembro de 2014, quando o Estado mexicano
matou 6 e sequestrou os 43 estudantes normalistas no estado de
Guerrero, seus familiares e colegas estão em luta por justiça e
verdade. "Vivos os levaram, vivos os queremos", gritam.

Pois a dor, a raiva e a dignidade rebelde pararam o México e se
espalharam por todo o mundo. Nesse ano, comitivas de familiares e
colegas dos 43 têm percorrido diversos países em caravanas, com o
intuito de fazer ecoar internacionalmente seu grito, compartilhar
experiências de luta e de criar laços de solidariedade entre aqueles
que se levantam contra os de cima.

A Caravana 43 América do Sul já passou por cidades na Argentina e no
Uruguai e chega em São Paulo na primeira semana de junho, para depois
passar por Porto Alegre e Rio de Janeiro. Participe, divulgue; se lá e
cá o Estado prende, desaparece e oprime os de baixo, também a nossa
resistência não tem fronteiras.

No están solos!

PROGRAMAÇÃO DA CARAVANA 43 EM SÃO PAULO

2 de junho (terça), às 14h - Coletiva de imprensa com os familiares
Kiwi Cia de Teatro: Rua Frederico Abranches, 189

2 de junho (terça), às 19h - Debate público - Caravana 43: familiares
de Ayotzinapa, Mães de Maio e suas resistências
Quadra dos bancários: rua Tabatinguera, 192
https://www.facebook.com/events/1590417024574899/

3 de junho (quarta), às 20h - Ayotzinapa somos todxs - Sarau do Binho
com outros saraus
Espaço Clariô: Rua Santa Luzia, 96 - Taboão da Serra
https://www.facebook.com/events/698285870299696/

http://caravana43sudamerica.org/

Coletivos que compõem a Caravana em São Paulo:

Mães de Maio
Movimento Passe Livre – SP
Casa Mafalda Espaço Autônomo
Coletivo DAR (Desentorpecendo a Razão
Coletivo Autônomo dos Trabalhadores Sociais CATSO
Rede 2 de Outubro
Espacio de Lucha Contra el Olvido y la Represión (ELCOR) - Red Contra
la Repression (México)
Margens Clínicas
Comboio Moinho Vivo
Rizoma Tendência Estudantil Libertária
Rede Extremo Sul
Comissão Yvyrupá

--

-- 
---
...  |  Yvyra’ija  |  Ava ñe'ë mβռăʒ  | 自由 改善 | Todos os que somos nós
------------------------------------


Gmane