Damián Keller | 15 Aug 13:28 2015
Picon

VII UbiMus - Foz do Iguaçu

Chamada de trabalhos para o VII UbiMus. Desta vez no Brasil.

Saci Pererê | 12 Aug 17:33 2015
Picon

Oficina integral de comunicação popular e rádio

As inscrições tá dizendo até 14, mas vai até 21...

http://radiolivre.org/?q=node/5129

*=

Arlekino | 6 Aug 13:42 2015
Picon

Fwd: [COMPOS] Fwd: Introducing the Journal of Alternative and Community Media [1 Attachment]




-------- Forwarded Message -------- Assunto: Data: De: Responder a:
[COMPOS] Fwd: Introducing the Journal of Alternative and Community Media [1 Attachment]
Thu, 6 Aug 2015 08:36:29 -0300
Adilson Cabral acabral-Apz6LVHCYuBrzelXMhMT8V/I71DsQ//L@public.gmane.org [COMPOS] <COMPOS-hHKSG33TihhbjbujkaE4pw@public.gmane.org>
COMPOS-hHKSG33TihhbjbujkaE4pw@public.gmane.org


[Attachment(s) from Adilson Cabral included below]

Olá,
Chamada aberta para o Journal of Alternative and Community Media - http://www.joacm.org.
Abraços,
Adilson


Início da mensagem encaminhada:




__._,_.___

Attachment(s) from Adilson Cabral | View attachments on the web

1 of 1 Photo(s)


__,_._,___


Gabriel Fedel | 1 Aug 00:10 2015
Picon

Procura-se Designers Livres

Gente,

vocês tem contato de designers ou empresas de designers que trabalham
com suítes livres (inkscape, gimp, ...) ?

Abraços!

--

-- 
Gabriel Fedel

Linux User #548809

Thiago Novaes | 31 Jul 20:00 2015
Picon

Re: [submidialogia] Empresas podem boicotar TV Digital Interativa do Brasil

Prezado <at> s,

Acabou a reuniã do Gired, e decidiram implementar um recepetor que NÃO atende à norma brasileira do SBTVD. Alegam, segundo o representante da empresa que entregará os receptores, que não há tempo hábil para mexer no firmware que permitiria interatividade.


Hoje o governo brasileiro foi posto de joelhos diante do monopólio.

Mas seguimos, a batalha perdida, a guerra continua.

9s

Em 31 de julho de 2015 13:24, Thiago Novaes <tnovaes-Re5JQEeQqe8AvxtiuMwx3w@public.gmane.org> escreveu:
opa,

tivemos notícias direto do executivo que sem internet os receptores não passarão. continuamos acompanhando (e trabalhando!).

Em 30 de julho de 2015 19:34, Henrique Parra <polart <at> riseup.net> escreveu:
twittando agora sobre o assunto!

On 30-07-2015 19:23, Guilherme Figueiredo wrote:
> Muito bom!
>
> Em 30 de julho de 2015 13:19, Thiago Novaes <tnovaes-Re5JQEeQqe8AvxtiuMwx3w@public.gmane.org
> <mailto:tnovaes-Re5JQEeQqe8AvxtiuMwx3w@public.gmane.org>> escreveu:
>
>     http://www.cartacapital.com.br/blogs/intervozes/empresas-podem-boicotar-tv-digital-interativa-do-brasil-6835.html
>
>     Há cerca de dois meses, foi publicado neste blog o artigo "A
>     Reinvenção da TV Digital no Brasil Brasileira
>     <http://www.cartacapital.com.br/blogs/intervozes/a-reinvencao-da-tv-digital-no-brasil-4423.html>",
>     de nossa autoria. Ali, levantamos as grandes potencialidades da
>     adoção do perfil C de novos receptores para TV Digital, a serem
>     distribuídos para 14 milhões de domicílios beneficiados pelo Bolsa
>     Família. Trata-se de uma oportunidade ímpar de realizar boa parte
>     das premissas estabelecidas pelo Decreto Presidencial 4.901, de 26
>     de novembro de 2003, que instituiu o Sistema Brasileiro de Tv
>     Digital e de enfatizar uma plataforma de comunicação sob seus
>     aspectos de cidadania, voltada para a população menos favorecida,
>     com acessos a novos serviços, mais conteúdos, e com interatividade.
>
>     Esses conversores poderão colocar o Brasil como primeiro país no
>     mundo a levar a Internet para sua população de baixa renda através
>     da TV Digital, permitindo a chamada “interatividade plena” na casa
>     das pessoas.Tal medida pode permitir incluir digitalmente uma
>     expressiva parcela da população que necessita de mais acesso à
>     informação, e que não dispõe deste acesso por outros meios. Esta é
>     uma decisão política que já foi tomada, e que contou com o apoio do
>     Ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini.
>
>     Entretanto, as decisões do ente responsável pela migração da TV
>     analógica para o Sistema Brasileiro de TV Digital (o SBTVD), estão
>     em permanente disputa. Presidido por Rodrigo Zerbone, Conselheiro da
>     Anatel, o Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e
>     Digitalização de Canais de TV e RTV (Gired) é formado por
>     representantes de empresas privadas de televisão e por operadoras de
>     telefonia, sem qualquer representação da sociedade civil.
>
>     Nesta sexta, dia 30, o Gired decidirá as especificações do conversor
>     de TV Digital que será distribuído para aproximadamente ¼ da
>     população brasileira. Os interesses tanto da indústria de
>     receptores, que visa maximizar o lucro e deixar o conversor o mais
>     simples possível, quanto os das empresas de radiodifusão comercial,
>     que querem a maior parte dos bilhões de reais da verba para a
>     migração alocada para propaganda, coincidem com os das empresas de
>     telecom, que pressionam para que o processo de migração aconteça no
>     cronograma, de forma que a banda dos 700 MHz seja liberada para uso
>     em telefonia móvel o mais rápido possível.
>
>     Neste contexto, a sociedade civil brasileira, que não tem voz no
>     Gired, e representantes do governo e de emissoras públicas de
>     comunicação já começam a ver o pior no fim do túnel. Existe a chance
>     deste lobby fortíssimo de empresas conseguir derrubar o suporte à
>     “interatividade plena” no conversor. Se isso ocorrer, contrariaremos
>     o que foi aprovado para os conversores de TV Digital a serem
>     distribuídos e o que vem sendo sustentado politicamente por membros
>     do poder executivo brasileiro, como o Ministro das Comunicações,
>     Ricardo Berzoini e o Secretário de Comunicações Eletrônica, Emiliano
>     José.
>
>     Um requisito para a “interatividade plena” é o acesso à Internet. No
>     entanto, representantes da indústria dizem que as normas do SBTVD,
>     assim como a especificação do conversor, não são factíveis. Dentre
>     as demandas da sociedade civil estão a inclusão de drivers (software
>     que permite a ativação de um dispositivo) para modems 3G/4G e
>     adaptadores WiFi com porta USB. O lobby das empresas, no entanto,
>     afirma que esta inclusão é difícil e que não seria factível para
>     instalação nos receptores. Pois bem, os conversores rodam Linux, e o
>     Linux já possui uma infinidade de drivers para esses dispositivos.
>     Como pode ser difícil a simples adição dos drivers que já acompanham
>     o Linux no firmware do conversor?
>
>     A norma brasileira que trata do receptor (ABNT 15604) é clara no que
>     tange à “interatividade plena”. No capítulo 15 da norma, intitulado
>     “Comunicação interativa (bidirecional) – Canal de interatividade”,
>     consta explicitamente que o receptor deverá suportar a instalação de
>     novos drivers. Para um fabricante de modem ou adaptador WiFi, a
>     questão da geração de um driver compatível com o conversor depende
>     do acesso ao código fonte exato do Linux que está em uso no
>     aparelho. Isso não deveria ser um problema, pois como o Linux é
>     software livre, licenciado pela GPL v2 (GNU Public License), a
>     empresa que irá produzir o conversor é obrigada a liberar esse
>     código fonte. No entanto, ao que parece, o lobby das empresas parece
>     ignorar esse fato, agindo em desrespeito às licenças e na contramão
>     do discurso de inclusão digital defendido pelo Ministério das
>     Comunicações.
>
>     O mínimo que o fabricante do conversor deverá prover é um kit de
>     desenvolvimento para a produção de drivers que permita que
>     adaptadores 3G/4G e WiFi de hoje, e os que forem lançados no futuro,
>     possam ser suportados pelo conversor de TV Digital. O ideal seria
>     que todo o código fonte do receptor fosse liberado, de forma que
>     evoluções independentes do software do receptor pudessem ser
>     desenvolvidas.
>
>     Considerando o imenso potencial de desenvolvimento social que a TV
>     Digital Interativa permite à população brasileira, previsto
>     igualmente no decreto 4.901 que instituiu o SBTVD, é fundamental que
>     o Ministro das Comunicações do país, Sr. Ricardo Berzoini, seus
>     secretários e conselheiros da Anatel, em especial o Sr. Rodrigo
>     Zerbone, que preside o GIRED, façam valer a decisão da presença da
>     “interatividade plena” nos receptores, e sigam na íntegra as normas
>     do SBTVD.
>
>     /Rafael Diniz é mestre em informática pela PUC-Rio e Thiago Novaes é
>     doutorando em Antropologia na UnB/
>
>
>     ------------------------------------------- [[[
>     saia correndo dessa lista por esta porta ->
>     http://lists.riseup.net/www/signoff/submidialogia
>
>
>
>
> --
> "Nossas festas são o movimento da agulha que serve para ligar as partes
> do telhado de palha, para que haja um único teto, uma única palavra"
> Nova-Caledônia - Melanésia
>
>
> ------------------------------------------- [[[
> saia correndo dessa lista por esta porta ->
> http://lists.riseup.net/www/signoff/submidialogia


------------------------------------------- [[[
saia correndo dessa lista por esta porta -> http://lists.riseup.net/www/signoff/submidialogia



Thiago Novaes | 30 Jul 19:19 2015
Picon

Empresas podem boicotar TV Digital Interativa do Brasil

http://www.cartacapital.com.br/blogs/intervozes/empresas-podem-boicotar-tv-digital-interativa-do-brasil-6835.html

Há cerca de dois meses, foi publicado neste blog o artigo "A Reinvenção da TV Digital no Brasil Brasileira", de nossa autoria. Ali, levantamos as grandes potencialidades da adoção do perfil C de novos receptores para TV Digital, a serem distribuídos para 14 milhões de domicílios beneficiados pelo Bolsa Família. Trata-se de uma oportunidade ímpar de realizar boa parte das premissas estabelecidas pelo Decreto Presidencial 4.901, de 26 de novembro de 2003, que instituiu o Sistema Brasileiro de Tv Digital e de enfatizar uma plataforma de comunicação sob seus aspectos de cidadania, voltada para a população menos favorecida, com acessos a novos serviços, mais conteúdos, e com interatividade.

Esses conversores poderão colocar o Brasil como primeiro país no mundo a levar a Internet para sua população de baixa renda através da TV Digital, permitindo a chamada “interatividade plena” na casa das pessoas.Tal medida pode permitir incluir digitalmente uma expressiva parcela da população que necessita de mais acesso à informação, e que não dispõe deste acesso por outros meios. Esta é uma decisão política que já foi tomada, e que contou com o apoio do Ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini.

Entretanto, as decisões do ente responsável pela migração da TV analógica para o Sistema Brasileiro de TV Digital (o SBTVD), estão em permanente disputa. Presidido por Rodrigo Zerbone, Conselheiro da Anatel, o Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (Gired) é formado por representantes de empresas privadas de televisão e por operadoras de telefonia, sem qualquer representação da sociedade civil.

Nesta sexta, dia 30, o Gired decidirá as especificações do conversor de TV Digital que será distribuído para aproximadamente ¼ da população brasileira. Os interesses tanto da indústria de receptores, que visa maximizar o lucro e deixar o conversor o mais simples possível, quanto os das empresas de radiodifusão comercial, que querem a maior parte dos bilhões de reais da verba para a migração alocada para propaganda, coincidem com os das empresas de telecom, que pressionam para que o processo de migração aconteça no cronograma, de forma que a banda dos 700 MHz seja liberada para uso em telefonia móvel o mais rápido possível.

Neste contexto, a sociedade civil brasileira, que não tem voz no Gired, e representantes do governo e de emissoras públicas de comunicação já começam a ver o pior no fim do túnel. Existe a chance deste lobby fortíssimo de empresas conseguir derrubar o suporte à “interatividade plena” no conversor. Se isso ocorrer, contrariaremos o que foi aprovado para os conversores de TV Digital a serem distribuídos e o que vem sendo sustentado politicamente por membros do poder executivo brasileiro, como o Ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini e o Secretário de Comunicações Eletrônica, Emiliano José.

Um requisito para a “interatividade plena” é o acesso à Internet. No entanto, representantes da indústria dizem que as normas do SBTVD, assim como a especificação do conversor, não são factíveis. Dentre as demandas da sociedade civil estão a inclusão de drivers (software que permite a ativação de um dispositivo) para modems 3G/4G e adaptadores WiFi com porta USB. O lobby das empresas, no entanto, afirma que esta inclusão é difícil e que não seria factível para instalação nos receptores. Pois bem, os conversores rodam Linux, e o Linux já possui uma infinidade de drivers para esses dispositivos. Como pode ser difícil a simples adição dos drivers que já acompanham o Linux no firmware do conversor?

A norma brasileira que trata do receptor (ABNT 15604) é clara no que tange à “interatividade plena”. No capítulo 15 da norma, intitulado “Comunicação interativa (bidirecional) – Canal de interatividade”, consta explicitamente que o receptor deverá suportar a instalação de novos drivers. Para um fabricante de modem ou adaptador WiFi, a questão da geração de um driver compatível com o conversor depende do acesso ao código fonte exato do Linux que está em uso no aparelho. Isso não deveria ser um problema, pois como o Linux é software livre, licenciado pela GPL v2 (GNU Public License), a empresa que irá produzir o conversor é obrigada a liberar esse código fonte. No entanto, ao que parece, o lobby das empresas parece ignorar esse fato, agindo em desrespeito às licenças e na contramão do discurso de inclusão digital defendido pelo Ministério das Comunicações.

O mínimo que o fabricante do conversor deverá prover é um kit de desenvolvimento para a produção de drivers que permita que adaptadores 3G/4G e WiFi de hoje, e os que forem lançados no futuro, possam ser suportados pelo conversor de TV Digital. O ideal seria que todo o código fonte do receptor fosse liberado, de forma que evoluções independentes do software do receptor pudessem ser desenvolvidas.

Considerando o imenso potencial de desenvolvimento social que a TV Digital Interativa permite à população brasileira, previsto igualmente no decreto 4.901 que instituiu o SBTVD, é fundamental que o Ministro das Comunicações do país, Sr. Ricardo Berzoini, seus secretários e conselheiros da Anatel, em especial o Sr. Rodrigo Zerbone, que preside o GIRED, façam valer a decisão da presença da “interatividade plena” nos receptores, e sigam na íntegra as normas do SBTVD.

Rafael Diniz é mestre em informática pela PUC-Rio e Thiago Novaes é doutorando em Antropologia na UnB
Adriano Belisário | 29 Jul 21:59 2015
Picon

Open Broadcaster Software

opa,

alguém por aqui conhece/ já testou ?

https://obsproject.com
Gabriel Fedel | 28 Jul 02:26 2015
Picon

0ficina integral de Comunicação Popular e Rádio

Compartilhando:

http://www.radiolivre.org/?q=node/5129

Abraços!

--

-- 
Gabriel Fedel

Linux User #548809

Thiago Novaes | 15 Jul 02:15 2015
Picon

Movimento Espectro Livre

O Seminário de “Políticas Públicas para Democratização do Espectro do Séc XXI”, realizado no Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica, dia 26/06/2015, no Rio de Janeiro, foi o primeiro encontro oficial de lançamento do Movimento Espectro Livre, unificando as pesquisas e ações em torno do acesso cidadão às tecnologias de comunicação e livre expressão sem fins lucrativos.

Abaixo, seguem as palestras, sem cortes:

Adriano Belisário | 9 Jul 17:27 2015
Picon

Re: [SL-RJ] Estúdio Livre

Oi Vitor, sei que houve alguns problemas técnicos com o Estúdio Livre e que havia planos de retomar o desenvolvimento da plataforma. Mas não sei em que pé ficou isto.

Tô copiando aqui a lista do EL para - se alguém souber - dar um infome

[]s

Em 9 de julho de 2015 10:44, Vitor Mattos <vitor.mattos-Re5JQEeQqe8AvxtiuMwx3w@public.gmane.org> escreveu:
Faz um tempo que o site Estudio Livre está sem atualizações. Existe algum outro canal para quem trabalha com artes no mundo do software livre possa se entrosar?

Conheço pessoas viciadas em Photoshop e Fireworks e gostaria de apresentar alternativas livres e talvez até mesmo melhores para estas pessoas mas este negócio de artes não é comigo.

Cadu, ainda tá dando cursos nesta área de artes com software livre?

--
Vitor Mattos
Desenvolvedor PHP - http://linkedin.com/in/vitormattos/
Então Deus disse a Noé: "Faz um backup que eu vou formatar!"

--
Você recebeu essa mensagem porque está inscrito no grupo "Software Livre Rio de Janeiro" dos Grupos do Google.
Para cancelar inscrição nesse grupo e parar de receber e-mails dele, envie um e-mail para slrj+unsubscribe-/JYPxA39Uh5TLH3MbocFFw@public.gmane.org.
Para postar nesse grupo, envie um e-mail para slrj-/JYPxA39Uh5TLH3MbocFFw@public.gmane.org.
Acesse esse grupo em http://groups.google.com/group/slrj.
Para mais opções, acesse https://groups.google.com/d/optout.



--
PONTOS SP - Robson Sampaio | 9 Jul 03:32 2015
Picon

Revoada no FISL16: “Projeto Jovem Hacker é apresentado na abertura do 16º Fórum Internacional Software Livre”

Revoada no FISL16: “Projeto Jovem Hacker é apresentado na abertura do 16º Fórum Internacional Software Livre” http://revoada.net.br/revoada-no-fisl16-projeto-jovem-hacker-e-apresentado-na-abertura-do-16o-forum-internacional-software-livre/

--
Robson B. Sampaio***

Artista Visual/Fotografo
Gnu/Linux user # 489500
e-mail: reductio.ad.ethos-Re5JQEeQqe8AvxtiuMwx3w@public.gmane.org
skype: rbscamba1
twitter: <at> rbscamba
facebook: robson.sampaio1

http://lattes.cnpq.br/7461730442638498

"A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original." Albert Einstein

Gmane